No âmbito do SIMTUR – Cooperar para Competir, o Fundo Municipal de Turismo (FUMTUR) é um dos pilares de sustentação financeira tanto das ações estruturantes e estruturais, bem como das promocionais. São instrumentos públicos de descentralização de gestão, e criados através de Lei. Diante deste cenário, não perca a oportunidade de usar o processo de estruturação-organização como um exemplo de cooperação. Isso sim é Turismo no Município.

Na prática! Fundos geridos pelas Secretarias (SECTUR) somente, sem o “nada opor” do COMTUR, não são nada recomendáveis. E mesmo que o fundo seja gerido pela SECTUR, não necessariamente é ela que deve decidir onde, quando e como os recursos do fundo deverão ser gastos. Isto é genuinamente tarefa de conselho. Aliás, FUMTURs sem estarem associados ao COMTUR nesta linha, faz-me perguntar do porquê de existir um conselho.

Entendo perfeitamente a vaidade do poder público, mas se você que me lê agora é Secretário Municipal, entenda esta co-gestão com o COMTUR-tripartite como uma forma assertiva de compartilhar responsabilidades. Se o uso do FUMTUR está ruim, todos participam do erro e divide-se a culpa. Mas se está bom, a Cidade ganha, os empresários e entidades ficam felizes, e será você que irá ficar bem na foto. Em outras palavras, você nunca perde.

E tomando isso como premissa, traga as pessoas e instituições de interesse direto do Turismo para dentro da Arena de Acordos que chama-se COMTUR. Inclusive membros (escolhidos a dedo) da Câmara de Municipal. Não se esqueça que Turismo se faz em rede. Fortaleça a cooperação através do FUMTUR. Não perca esta oportunidade. Recomenda-se inclusive pedir uma porcentagem do Orçamento Anual para abastecê-lo. Cuide porém, para não ir com muita sede ao “pote”, corre-se o risco de ver diminuído o da Secretaria de Turismo. Não caia no toma lá, tira de cá.

Use o processo de discussão e (re) elaboração da Lei para que entidades e empresários possam melhor entender o funcionamento da máquina pública. Quanto mais eles entenderem, melhor conhecerão sobre os gargalos e oportunidades da sua estrutura, ficando mais claro também, o papel de cada um para o desenvolvimento turístico da sua Cidade. Isso é muito mais importante que se possa imaginar, pois quanto mais isto avançar, mais lhe sobrará tempo para articular, mediar e olhar à captação de recursos. Pense nisso.

Dúvidas, esclarecimentos? Pergunte. Se gostou, compartilhe!

Abr. Mielke, Dr.