Você já percebeu a quantidade de entidades de turismo que podemos encontrar em uma Cidade? Se fizermos uma rápida pesquisa você irá encontrar uma verdadeira “sopa de letras” atuando em várias frentes. Não que elas não devam ficar atentas ao seus próprios interesses. Muito pelo contrário. Porém, é necessário prestar muito atenção naquelas que buscam representar os serviços turísticos como um todo. E hoje, o texto é direcionado a elas….

Ah! Antes de mais nada, se esta é a sua primeira vez, seja bem vindo ao Blog de Capacitação Gestão & Política de Turismo no Município. Nosso objetivo é ajudar, orientando gestores públicos e técnicos a colocar sua Cidade no Mapa do Turismo nacional. Se já acessou outros textos, obrigado mais uma vez pela confiança. Se gostou, compartilhe e curta. Toda semana tem um novo texto!

Para te contextualizar…Certa ocasião, fui convidado para palestrar dentro do auditório da Associação Comercial sobre a viabilidade da implementação de um C&VB. Estavam presentes na plateia, os integrantes do Núcleo de Turismo da mesma AssCOM, bem como também a diretoria da Associação de Guias, Hotéis e Restaurantes da Cidade X e a Associação de Turismo Rural do Município.

Quando me dei conta disso, a 1a pergunta que fiz foi se os empresários presentes participavam de mais de um uma entidade. Mais de 4/5 responderam que sim. Logo em seguida, perguntei se eles achavam que estava havendo sobreposição de ações para o crescimento do Turismo na Cidade, realizadas por parte das entidades que eles faziam parte. Todos foram unânimes respondendo que sim. E para fechar, questionei se saberiam dizer qual seria o papel de cada entidade e seu impacto no desenvolvimento do turismo na Cidade X …Mas desta vez, não obtive uma resposta que me convencesse da existência de algum!

Assim….

Se você é Secretário e me lê, antes de começar a pensar em ajudar a criar mais uma entidade, a orientação é fazer este exercício com o seu empresariado para que uma simples pergunta, não fique no breu de forma tão escancarada. A não ser que esse seja o objetivo, do ponto de vista político, quanto mais entidades, mais fraco o setor será como um todo. A inevitável superposição com os mesmos empresários participando de várias entidades ao mesmo tempo, resultará numa total perda de foco, culminando na desarticulação total do empresariado de todo mundo… Em outras palavras, um desastre!!!!

O péssimo hábito de criar mais uma entidade como resultante da discórdia, é na verdade um baita gasto energético inútil. São processos que estimulam a divergência e a incongruência, o que implica na não consistência… E é claro que isso tudo não vai dar certo!!! A criação de um C&VB pode ser a melhor opção se ele for resultado de uma reflexão de grupo cujo objetivo é reverter tais processos. Ele será a melhor opção, se conseguir constituir-se como um ponto de articulação, unindo forças. Ele será a melhor opção, se o conceito de Cooperar para Competir conseguir ser colocado em prática. Ele será a melhor opção, se os reultado$ no final do mês aparecem mesmo… Pense nisso.

Dúvidas, esclarecimentos? Escreva. Curta a fanpage @politicadeturismo

Obrigado pela confiança.

Para quem não me conhece, meu nome é Eduardo Mielke. Meu trabalho é auxiliar Governos na busca por  processos cooperativos que resultem numa melhor articulação entre ele, Terceiro Setor e o Empresariado. O resultado e o que importa mesmo, é a geração de emprego e renda local. O resto é conversa fiada.

Palestras, Workshops e treinamentos? Escreva para emielke@kau.edu.sa

Compre o livro do SIMTUR!!! Lá você terá todas as orientações que você precisa para fazer o seu Município decolar!

Screen Shot 2018-06-16 at 13.54.10