Toda Cidade tem um Museu, uma casa de Cultura, um Teatro ou uma Estação Ferroviária…que está lá…quietinha, literalmente pegando poeira. Ou pior, está sofrendo  com a falta de tudo…porém, nem tudo está perdido. Hoje então, o texto é sobre este tipo de patrimônio que é importante e faz parte do DNA do Município, mas precisa melhorar o desempenho quando o assunto é Turismo. De nada vale ter um atrativo onde no máximo consegue prender o turista por não mais do que 15 minutos para ver tudo…

Ah! Antes de mais nada, se esta é a sua primeira vez, seja bem vindo ao Blog de Capacitação Gestão & Política de Turismo no Município. Nosso objetivo é ajudar, orientando gestores públicos e técnicos a colocar sua Cidade no Mapa do Turismo nacional. Se já acessou outros textos, obrigado mais uma vez pela confiança. Se gostou, compartilhe e curta. Toda semana tem um novo texto!

Vamos começar hoje pelo final. Mais precisamente pelo cenário ideal de como hoje tais atrativos estão ajudando o Turismo das Cidade que já entenderam como as coisas funcionam. Em primeiro lugar, é muito….mas muito importante que o turismo seja entendido pela Prefeitura como um instrumento estratégico de promoção do pertencimento dos habitantes para com a sua Cidade (melhor ainda se com o seu bairro). E o desenvolvimento deste sentimento é um processo contínuo pelo qual a própria população passa a usufruir diretamente daquilo que a faz orgulhosa.

A satisfação e o brilho no olhar deste orgulho é o que fará um lugar ser mais legal e portanto, mais propenso a ser visitado. Será através da percepção do uso daqueles elementos do DNA que o Turismo irá se tornar parte da Cidade e das mídias sociais…  De nada vale ter uma Casa de Cultura ou Estação Ferroviária centenária se este espaço não puder agregar valor. Isso quer dizer, se não puder gerar oportunidades de negócios (artesanais com a cara da região) para micro e pequenos empresários locais, onde a população possa fazer parte como consumidora. Se você é Secretário e me lê, utilize seu cargo para articular e mediar possibilidades. Afinal de contas, esse é o seu papel.

Sabe aquela máxima do turismo “O Turismo só é bom para o turista se for bom para o local”? Está incompleta…Para mim a conta é outra. O correto é: O Turismo  (como instrumento estratégico, portanto como parte da estrutura da gestão pública), é para o morador, sendo que o turista que vem a reboque….Pense muito nisso!

 

Dúvidas, esclarecimentos? Escreva. Curta a fanpage @politicadeturismo

Obrigado pela confiança.

Para quem não me conhece, meu nome é Eduardo Mielke. Meu trabalho é auxiliar Governos na busca por  processos cooperativos que resultem numa melhor articulação entre ele, Terceiro Setor e o Empresariado. O resultado e o que importa mesmo, é a geração de emprego e renda local. O resto é conversa fiada.

Palestras, Workshops e treinamentos? Escreva para emielke@kau.edu.sa

Compre o livro do SIMTUR!!! Lá você terá todas as orientações que você precisa para fazer o seu Município decolar!

Screen Shot 2018-06-16 at 13.54.10